quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

Reações Inconscientes



Estava ministrando um curso de EFT quando uma aluna fez a seguinte pergunta: “Me veio agora em mente  um pensamento para ensinar EFT para uma determinada pessoa. Por que me surgiu esse pensamento?”.
Achei a pergunta um tanto estranha e respondi dizendo: “eu não sei”. Por que realmente eu não tinha como ter essa resposta. Além disso, dentro do que estava sendo debatido, a pergunta também não trazia maiores contribuições para o assunto, era bem irrelevante, portanto seria melhor seguir adiante.  Alguns dos alunos acharam engraçada a pergunta.
Diante da minha reposta, a aluna se queixou que era a segunda vez durante o curso que ela se sentia desrespeitada. Que havia feito uma pergunta anteriormente e as pessoas riram, e que a reposta que eu dei não seria a resposta que um professor deveria dar. Enquanto falava isso, começou a chorar. Falei que não era intenção de ninguém desrespeitá-la, nem minha nem de nenhum outro aluno, que talvez a forma como ela havia falado teria sido um tanto engraçada,  e que algumas pessoas riram por isso. Falei também que eu realmente não sabia a resposta que não teria como dizer nada além do “eu não sei”.
Essa mesma aluna se candidatou a receber uma sessão de EFT comigo logo em seguida. Durante os cursos, eu faço sessões de EFT com alunos que queiram ser voluntários diante da turma. Ao trazer uma situação para ser trabalhada, ela lembrou que, uma vez em sala de aula quando era criança, havia feito uma pergunta onde todo mundo caiu na gargalhada, inclusive a professora. Ao contar essa situação, a lembrança vinha carregada com sentimento de mágoa, vergonha e choro.
 Neste momento, deu para entender perfeitamente a reação anterior da aluna durante a aula. De quem é que ela estava com raiva e por que estava se sentindo desrespeitada na verdade? A carga emocional de um evento do passado ainda carregado de sentimentos brotou, levando a aluna a ter uma reação inconsciente.
Quando temos esse tipo de reação, muitas vezes não ficará claro a conexão com uma situação semelhante mal resolvida do passado. Apenas sentimos algo negativo e vamos responsabilizar alguém ou alguma situação presente como sendo a causadora do nosso mal estar. Foi exatamente o que ocorreu com a aluna. Só que logo em seguida ela lembrou da situação passada e resolveu trabalhar os sentimentos em uma sessão de EFT. Ao relatar este evento, surgiram sentimentos de raiva, vergonha, tristeza e outros, e fomos limpando um a um com a EFT.
O resultado foi que em poucos minutos, aquela lembrança perdeu todo o peso emocional e ela mesma começou a rir da cena, enxergando agora que ela realmente havia falado de forma engraçada na escola. Os sentimentos negativos distorcem completamente a visão dos acontecimentos. Quando os dissolvemos, a nossa percepção do que ocorreu muda completamente e não raras vezes, vejo as pessoas rirem de fatos que há poucos instantes as faziam chorar.
Uma situação como essa, aparentemente boba, fica mal resolvida dentro de nós e provoca uma série de reações inconscientes ao longo da vida prejudicando nossos relacionamentos.  A aluna relatou também que na relação com o marido e filho eles eram impacientes com suas perguntas e ela se sentia rejeitada com isso. Limpamos também esses sentimentos com a EFT.  Novamente ela começou a rir das suas reações depois que as emoções foram liberadas.
O que ocorria é que, por uma carência emocional, ela precisava o tempo inteiro fazer perguntas bobas, onde as pessoas não tinham como dar respostas. Fazia perguntas infantis no intuito de obter atenção, apenas para engatar uma conversa. Quando uma criança faz perguntas assim, tudo bem. Mas quando um adulto, movido por uma carência interior age dessa forma, vai causar irritação. Ainda mais no relacionamento com homens, que tendem a ser mais objetivos e gostam de resolver problemas. Ou seja, quando a mulher pergunta algo para o marido, ele não entende que ela esteja querendo apenas conversar. Ele sente um impulso de obter uma resposta prática para a situação, pois é da sua natureza. Como as perguntas dela não podiam ser respondidas dessa forma, o marido acabava vendo aquilo como algo totalmente sem sentido e ficava impaciente, dando resposta curtas e grossa do tipo “eu não sei”. Compreendi mais profundamente a reação dela à reposta que eu havia dado.  “Você respondeu igual ao meu marido”. Foi o que ela disse em outro momento.
No nosso dia a dia temos esse tipo de reação inconsciente o tempo inteiro, nas relações interpessoais e diante dos fatos da vida. O sentimento negativo guardado de um fato passado vem a tona, e molda nossos pensamentos e ações, sem que a gente se dê conta do que realmente está por trás da nossa forma de sentir e agir. Teremos uma forte tendência a justificar a nossa reação e culparemos as pessoas e situações ao nosso redor. É como se aquela dor que ficou guardada do passado não quisesse vir à tona para ser liberada. Ela cria um sistema de auto defesa e auto alimentação. Cada situação nova que ocorre, serve para alimentar e ampliar o sofrimento interior guardado. Os sentimentos negativos criam vida própria, e não desejam ser dissolvidos. É preciso muita atenção e auto observação para enxergar esses mecanismos e não cair na armadilha de perpetuá-los.
Outra vez recebi um e-mail de uma leitora. Ela se queixava que havia entrado em contato anteriormente e que eu não havia respondido. Falou que estava decepcionada mas que isso era normal, que o ser humano é assim mesmo. Respondi que não recebi nada dela anteriormente, e que esse era o primeiro e-mail dela que havia chegava na minha caixa. Quando ela me respondeu, pediu desculpas pela forma como havia escrito anteriormente,  e em um tom bem humorado disse que naquele dia estava se sentindo frustrada por outras situações e que “acabou sobrando pra você”.
Existem inúmeras situações do passado que ficam mal resolvidas e passamos a vida reagindo sendo influenciados por esses sentimentos: mágoas, críticas, perdas, frustrações, traições, medos, tristeza, rejeições. Muitos andam como se fossem uma bomba relógio esperando apenas uma oportunidade para explodir emocionalmente, projetando seus sentimentos mal resolvidos em situações do presente. E muito desse material vem lá da infância, da relação com os pais e a família.
Por isso que é muito importante acessar e limpar esses eventos. Não importa se você vê a influência deles no seu presente. Na maioria das vezes você não terá essa consciência do quanto eles são prejudiciais. Comece a dissolver esses sentimento e certamente sua vida ficará mais fácil, suas reações mais sensatas e maduras.

Por André Lima em www.eftbr.com.br

Um comentário:

  1. Realmente nós seres humanos reagimos desta maneira, muitas vezes o stress as coisas mal resolvidas nos deixam abalados,quando temos algúem do nosso lado que nos escuta e nos mostra o que está certo ou errado e nos apoia a magia de estarmos vivos é maravilhosa.
    Bjs te amo.

    ResponderExcluir

A sabedoria dos filmes

Não espere o amor acontecer