terça-feira, 17 de maio de 2011

O Espaço

     
   Do mesmo modo que o som não pode existir sem o silêncio, nenhuma coisa pode existir sem o nada, sem o espaço vazio. Cada objeto material ou cada corpo veio do nada, é cercado pelo nada e vai voltar para o nada. Até mesmo no interior de cada corpo físico existe muito mais “nada” do que “algo”.
   Os físicos nos dizem que a solidez da matéria é uma ilusão. Até matéria aparentemente sólida, como o nosso corpo, é quase 100 por cento espaço
vazio, tão grandes são as distâncias entre os átomos em comparação com o tamanho deles. Além disso, mesmo no interior de cada átomo, a maior parte é
de espaço vazio. O que resta é mais como uma freqüência vibracional do que partículas de matéria sólida, mais como uma nota musical. Os budistas sabem disso há mais de 2.500 anos. “Forma é o vazio, o vazio é forma”, afirma o Sutra do Coração, também conhecido como o Sutra da Sabedoria, um dos mais
antigos e conhecidos textos budistas. A essência de todas as coisas é o vazio.
    O Não Manifesto não se apresenta nesse mundo só como silêncio. Ele também é o espaço que perpassa todo o universo físico, por dentro e por fora.
É tão fácil de não percebermos quanto o silêncio. Todos nós prestamos atenção às coisas no espaço, mas quem presta atenção ao próprio espaço?


Eckhart Tolle em "O Poder do Agora - Um Guia para a Iluminação Espiritual"

Nenhum comentário:

Postar um comentário

A sabedoria dos filmes

Não espere o amor acontecer